Você sabe o que é um propósito? É o motivo pelo qual uma marca existe, esse “algo” que a torna relevante e necessária para seus consumidores. Nesse sentido, uma marca com propósito é aquela que se posiciona diante de uma situação importante para a sociedade e integra isso tanto na sua comunicação quanto na sua estratégia.

Encontrar essa razão implica que as marcas retornem às suas origens e se conectem com a sua alma para entenderem qual é o seu papel neste mundo.

Always (um produto da Procter & Gamble), por exemplo, expressa seu propósito com a campanha #LikeAGirl (no Brasil, #TipoMenina) da seguinte maneira: “Queremos que todas as meninas e mulheres vivam suas vidas ao máximo e estamos aqui para apoiá-las”. Portanto, não há espaço para qualquer tipo de dúvida sobre o compromisso da empresa no combate dos estereótipos.

Seis a cada dez consumidores querem marcas com propósito

Esse dado foi ratificado pela enquete global de Accenture Strategy, realizada com quase 30 mil consumidores de 35 países.

  • 62% dos cliente querem que as empresas assumam posturas sobre temas atuais e pertinentes como o câmbio climático, a inclusão LGBT, o empoderamento feminino, a transparência, entre outros.
  • 47% dos consumidores se afastam da marca quando se sentem frustrados e 18% nunca retomam a confiança.
  • 42% dos consumidores afirmam que se afastam de marcas que não representam nada. Um a cada cinco (21%) nunca volta.

Essas são as principais questões que impedem que as empresas consigam ter vantagens competitivas no contexto da modernidade, porque os clientes já não tomam suas decisões unicamente com base no produto ou no preço, mas na avaliação do que uma marca diz, faz e, principalmente, do que ela representa.

Ative seu propósito

  • Seja humano: a comunicação é essencial, dado que 64% dos usuários consideram mais atrativo o propósito das marcas que se comunicam ativamente.
  • Seja claro: os clientes valorizam a autenticidade, a franqueza e a liderança sólida.
  • Impulsione sua criatividade para aumentar sua agilidade competitiva.

É hora de passar do individualismo para a coletividade.

 

0
2 min de lectura

Compartir entrada